EDIÇÃO ESPECIAL // Desafio de 4 semanas: Dieta Paleolítica

E a semana 2 foi concluída com… SUCESSO! Acima de tudo, tenho descoberto que vivo bem com poucos hidratos de carbono e que isso não afeta negativamente o meu humor e a minha energia. Está a ser muito interessante seguir esta dieta e observar os sinais do meu corpo. E as pessoas à minha volta também começam a ficar entusiasmadas e curiosas.

Uma das perguntas mais frequentes que me têm feito é se esta é uma dieta hiperproteica, o que aproveito para esclarecer. Ao contrário do que muitos pensam, esta não é uma dieta hiperproteica, a proteína é mantida em quantidades normais, o que se aumenta é a ingestão de gorduras face ao “normal”.

Outra questão muito colocada é sobre se esta dieta pode ou não ser seguida por atletas. Da minha experiência, e como referi no artigo anterior, não senti nenhuma quebra no rendimento dos meus treinos, não senti fadiga nem cansaço, relembrando que treino praticamente todos os dias, esta semana até fiz alguns treinos bi-diários com cardio de manhã e pesos ao final do dia. Não sou, no entanto, atleta de alta competição, porém tenho lido artigos sobre atletas de alta competição que seguem esta alimentação com muita satisfação nos seus resultados e níveis de energia. Há muitos estudos científicos disponíveis sobre o assunto e muitos médicos conceituados que incentivam e comprovam os benefícios deste estilo de vida.

 

Bom, e regressando à minha segunda semana, deixo o meu menu semanal.dieta-paleo-semana-2

Como podem ver o meu maior pecado continua a ser a necessidade de um chocolate ao final do dia, no entanto tenho consumido sempre com 90% de cacau (e não é que descobri que o cacau tem imensa proteína?). A parte boa de o consumir à noite é que o cacau possui bom teor de triptofano, substância que estimula a produção de serotonina, que alivia o stress. Ao final do dia, sabe sempre bem!

Os lacticínios – iogurtes e queijos – também continuam presentes em menor quantidade. Eu adoro queijo e, como não sinto que o meu corpo responde mal ao seu consumo, não o tenho eliminado, apenas reduzido face ao que consumia. Como já referi: o importante é ouvirmos o nosso corpo, a forma como ele nos responde ao que consumimos.

Esta semana, tive um jantar de sushi, foi a refeição que saiu fora da dieta Paleolítica. Adoro sushi, e foi bom ter feito esta refeição para quebrar a rotina. No entanto, comi essencialmente sashimi e deixei de lado o molho de soja e as peças com mais arroz.

E vou a todo o gás para a terceira semana Paleo!

 

For the English version click here.