EDIÇÃO ESPECIAL // Desafio de 4 semanas: Dieta Paleolítica

A minha cabeleireira sofre de reumatismo desde muito nova e sempre fez medicação para ajudar a combater as dores. Há 3 anos atrás contou-me que adotou um estilo de vida baseado na Dieta Paleolítica e que desde então tem sentido melhorias na sua saúde e bem-estar e, consequentemente, reduzido a medicação. As primeiras vezes que ela me falou nesta dieta não procurei saber muito mais sobre o assunto (para dizer a verdade nem importância dei!). No entanto, tenho conhecido cada vez mais pessoas que aderiram a este estilo de vida e que tem relatado experiências ao nível de melhorias de sintomas de doenças autoimunes e até perda de peso. Fiquei curiosa! Comecei então as minhas pesquisas no Sr. Google e a quantidade de informação disponível é imensa!!! Fiquei ainda mais curiosa com o que li!

Mas afinal o que é a Dieta Paleolítica?

A dieta Paleolítica baseia-se no princípio de que devemos consumir os alimentos para os quais fomos originalmente “programados” para comer. Ou seja, devemos dar primazia ao consumo de alimentos naturais e evitar tudo o que seja processado, açúcares, gordura trans, corantes e aromas artificiais. Todas estas substâncias estão ligadas a doenças como obesidade, cancro, diabetes, doenças cardíacas, Parkinson, Alzheimer, depressão e infertilidade. A Dieta Paleolítica foi desenvolvida para combater tudo isto e podermos ser o mais saudáveis possível.

E o que devemos ou não consumir?

A dieta do Paleolítico não é uma dieta fechada, existindo variações, sendo algumas mais permissivas e outras mais rígidas. Todavia, todas seguem alguns princípios básicos e a regra: consumir alimentos o mais naturais e com menos aditivos possível.

Alimentos a consumir:

  • Carne;
  • Peixe e marisco;
  • Ovos;
  • Verduras;
  • Vegetais;
  • Frutas de baixo índice glicémico (em moderação);
  • Frutos secos e sementes;
  • Gordura (azeite, manteiga, óleo de coco);
  • Ervas aromáticas e especiarias.

Alimentos a evitar:

  • Cereais (trigo, centeio, milho, aveia);
  • Açúcar e produtos industrializados, processados ou refinados.

Zona cinzenta:

  • Leite e derivados;
  • Chocolate (normalmente com mais de 70% de cacau);
  • Vinho tinto;
  • Leguminosas (grão, feijão, etc.);
  • Arroz.
Benefícios da Dieta Paleolítica
  • Melhora o perfil lipídico sanguíneo;
  • Queima gordura armazenada;
  • Ajuda na perda de peso;
  • Estabiliza os níveis de açúcar no sangue;
  • Ajuda a que os treinos sejam mais eficientes;
  • Melhora o sono;
  • Reduz as alergias;
  • Equilibra a energia ao longo do dia;
  • Melhora a qualidade da pele e dos dentes;
  • Melhora a digestão;
  • E tem propriedades anti-inflamatórias!
O meu desafio

Desafiada por uma amiga que adotou a dieta Paleolítica há mais de 1 ano, vou seguir esta dieta durante um mês, fazendo relatos semanais dos meus progressos, desafios e dificuldades.

Desafio-vos também a acompanhar-me ou até a juntarem-se a mim neste desafio de 4 semanas e a partilharem a vossa experiência. Não se esqueçam contudo que, como não somos todos iguais, por vezes nem sempre tudo se adequa a 100% em todos e, por isso, tudo o que escrever resulta apenas e somente da minha experiência pessoal.

Vamos lá!

Leituras

Paleo XXI

Sem Aditivos

Robb Wolf – Revolutionary Solutions to Modern Life

Ciência da Nutrição

My Protein

 

For the English version click here.