A VIAGEM

Quase toda a gente adora viajar, mas eu sou daquelas pessoas que fica ansiosa quando não tem nenhum voo marcado. Perder-me à descoberta e sentir o choque de novas culturas e pessoas fazem-me feliz.

É por isso que, quando o meu namorado Nuno e eu decidimos fazer um mochilão pelo Sudeste Asiático, eu fiquei S-U-P-E-R entusiasmada e decidi planear a viagem das nossas vidas.

Durante as próximas páginas, vou partilhar convosco as nossas experiências inesquecíveis, os caminhos menos trilhados e dicas úteis, na esperança que algum de vocês tenha uma viagem tão maravilhosa quanto a nossa.

Não esquecer:

– Trata dos vistos com antecedência! Os portugueses não precisam de visto na Tailândia, mas é preciso um no Vietname e no Camboja. O do Camboja faz-se diretamente no balcão do aeroporto, mas no Vietname é preciso fazer online. Leva pelo menos 2 fotos tipo passe, que vais ter de entregar no balcão dos vistos!

– Confirma que o teu passaporte tem pelo menos 6 meses de validade.

– Vai à consulta do viajante 2-3 meses antes e garante que és vacinado e compras os medicamentos necessários (70% dos viajantes têm a “diarreia do viajante”!). Só nos lembrámos de ir à consulta do viajante 1 mês antes da viagem e, nos hospitais públicos, já não havia vagas. Tivemos de ir ao privado e pagar 50€! Nós também compramosseguro de saúde World Nomads (recomendado pelo Lonely Planet) para a viagem, para o caso de precisarmos de ir ao médico.

– Leva roupa leve e fresca, mas lembra-te de ter algumas calças compridas e camisas com mangas, porque não se pode entrar com pouca roupa nos templos!

– O repelente de mosquitos vai ser o teu mais fiel companheiro, especialmente ao nascer e ao pôr-do-sol. Compra um quando chegares lá, porque não só são mais fortes, como são mais baratos!

– Nós também levámos uma rede mosquiteira (compra-se na Decathlon por 10€!), caso dormíssemos em sítios sem ar condicionado (os mosquitos não resistem a temperaturas inferiores a 17º) ou sem rede mosquiteira.

– Leva uma gabardine para a chuva torrencial e protetor solar para o calor abrasador. Mas não te preocupes: chove torrencialmente durante 30min por dia, mas depois passa logo 🙂

– Sapatos confortáveis, claro!

– Prepara-te para negociar. Em tuk tuks, táxis e souvenirs, negoceia primeiro e acorda um preço antes de começar o serviço!

– Viaja de avião sempre que as distâncias forem grandes ou mudares de país (para evitar perder tempo nas fronteiras); mas usa os transportes públicos nas distâncias mais curtas, para aproveitar a paisagem e as pessoas.

– A mente aberta e desejo de aventura!

Journey Plan

 

TAILÂNDIA – BANGUECOQUE

Banguecoque é a introdução perfeita à Ásia: De templos budistas de deixar o queixo caído a arranha-céus que fazem concorrência aos de Nova Iorque, Bangcoque é uma cidade de opostos. O calor húmido e a poluição colocam-nos imediatamente em modo Ásia, onde tudo é intenso, desde o cheiro da comida às buzinas dos tuk tuks e das motas.

Desde sempre que a minha família recebe um estudante de intercâmbio todos os anos. Há quase 10 anos recebemos o Pitipat, um jovem vietnamita que passou 1 ano a estudar em Portugal. Foi maravilhoso voltar a ver o Pitipat passado tanto tempo! Ele ficou louco quando viu a cerveja portuguesa e a t-shirt da seleção portuguesa que lhe trouxemos; e levou-nos a conhecer a sua cidade.

Bangkok3

Bangkok2

Bangkok1

Como chegar: Voámos pela Lufthansa Lisboa – Frankfurt – Banguecoque. Foi fácil e confortável, apesar de a viagem demorar cerca de 24-28h. Custou-nos 650€/cada na eDreams, o que foi um ótimo negócio!

 

Dicas & Factos:

Vai de táxi, e não de tuk tuk. Ao contrário do que seria de esperar, os táxis são bem mais baratos do que os tuk tuks. Em Banguecoque há MUITO trânsito e os tuk tuks conseguem contornar os carros e, assim, andar mais rápido do que eles. No entanto, garante que o taxista liga o taxímetro, caso contrário vão inflacionar o preço!

– Há 3 coisas que os tailandeses valorizam acima de tudo: O Rei, o Buddha e o cabelo. Faças o que fizeres não desrespeites o Rei e o Buddha e… não toques no cabelo de um tailandês!

 

Obrigatório:

– Visita os templos Wat Phra Kaew, Grand Palace e Wat Pho, que valem mesmo a pena! Mas toma nota: fecham às 15h30!

– Vai aos mercados flutuantes. São turísticos, mas as vistas valem a pena! Afinal de contas, Banguecoque não é conhecido por ser a “Veneza do Oriente” por acaso!

– Experimenta a street food. Banguecoque tem uma das melhores comidas de rua do mundo, onde a comida é tipicamente mais saborosa e barata do que na maioria dos restaurantes.

– Iluminada por sinais néon com caracteres chineses, cheia de pessoas e barraquinhas de roupa e comida de rua, tens de ir a Chinatown.

– Perde-te na zona comercial ultra moderna de Banguecoque e passa pelo MBK, um centro comercial surreal onde quase todas as lojas vendem roupa e malas contrafeitas.

– Faz uma massagem, claro!

 

For the english version click here.