Estamos cada vez mais desconectados com o mundo em que vivemos. As crianças da cidade não percebem bem a origem dos vegetais que têm no prato. Os adultos vivem apressados, trabalham muito para pagar as contas, e passam demasiado tempo a comparar as suas vidas, às vidas perfeitas que compõem a grelha do Instagram.

Por estarmos cada vez mais desconectados, e ao mesmo tempo a sermos bombardeados com informação, acreditamos em tudo o que nos dizem.

A dieta X resolve todos os problemas, o creme Y acaba com as rugas em 3 minutos. Ah, e não esquecer que temos de comer sempre biológico e beber água com ph 9.5. E assim a vida vai andando. Tentamos fazer o melhor que conseguimos em tudo, e sentimos que andamos sempre a correr para chegar a lado nenhum.

Se ainda me estão a ler peço-vos que parem.

PAREM, por favor parem!

Parem para respirar, e para beber um grande copo de água. Depois parem para não fazer nada, absolutamente nada. Agora parem para escutar o silêncio e para existirem. Existir sem pressões, sem preocupações, sem prazos, obrigações e comparações.

Parem para ser vocês mesmos e para gostarem de vós tal como são. Com celulite e estrias, com calvice, com borbulhas nas costas e pelos encravados. Fui demasiado visual? Paciência.

Aceitem-se como são, e aceitem que a vida não tem de ser esta maratona que estamos todos a viver. Trabalhem para viver a vida dos vossos sonhos, e não trabalhem só para pagar contas. Esforcem-se para evoluir enquanto pessoas e para tornarem a vossa experiência neste planeta mais enriquecedora. Viajem mais, por favor!

Preocupem-se menos com a vida dos outros, com as pequenezas mesquinhas do dia a dia, e dêem valor às coisas que importam realmente na vida, e que é tão somente sermos felizes.

 

Para ler este texto em inglês clique aqui.

Click here to read this post in English.