Why am I me, and why not you? Why am I here, and why not there? When did, time begin, and where does space end? (…) How can it be that I, who am I, wasn’t before I was, and that sometime I, the one I am, no longer will be the one I am?

in Wings of Desire, de Wim Wenders

Quem sou eu? Porque sou eu o que sou e não outra coisa? O que procuro? O que faço eu aqui? Somos muitas vezes confrontados com estas questões, mas nem sempre estamos aptos ou receptivos a saber respondê-las. Ou porque temos medo e as nossas próprias inseguranças nos encerram ou porque somos facilmente quebráveis pelas nossas inquietações.

“Porque sou eu “eu” e não tu? Porque estou eu aqui, e não aí”. Toda a nossa vida, ansiamos por descobrir quem somos e se fazemos parte de algum lugar. Vagueamos na incerteza, procurando um estado de conforto e serenidade. Mas será que algum dia o sentiremos na sua totalidade? A nossa natureza impermanente parece estimular uma constante insatisfação.

Não obstante, é a própria inquietação que nos energiza a procurar diversos estados de ser com os quais nos identifiquemos (ou não…). O conjunto de fotografias acima representado propõe-se como uma viagem por caminhos ainda por revelar, definir, conquistar, partilhar.

 

Para ler este texto em inglês clique aqui.

Click here to read this post in English.