Ter um foco é importante. No entanto, o que realmente dá poder ao nosso foco são os objetivos e metas que criamos com base nesse foco. Os objetivos ajudam-nos a manter a direção da nossa vida alinhada com o nosso foco, e também criar um sentido de urgência que impulsiona as nossas ações diárias e semanais.

Objetivos colocam-nos no banco do condutor da nossa vida. Sem eles, estaríamos no banco do pendura, no banco de trás, ou poderíamos nem estar no carro.

Há uma ótima maneira de olharmos para os grandes objetivos da nossa vida: os nossos objetivos devem deixar-nos entusiasmados e assustados ao mesmo tempo.

Nós nunca vamos cumprir ou ter a energia para manter os nossos objetivos e metas a menos que estejamos entusiasmados com eles. Devemos, portanto, definir objetivos e metas que realmente nos excitam e apaixonam.

Ao mesmo tempo, os nossos objetivos devem assustar-nos. Assustar-nos no sentido de nos  desafiar a crescer e a usar o potencial que temos dentro de nós.

No momento em que criamos objetivos e definimos metas, provavelmente, não sabemos exatamente como as vamos alcançar. E é normal! Por exemplo, quando o presidente dos EUA John F. Kennedy fez o discurso em 1961 sobre a América colocar um homem na Lua até o final da década, isto era um objetivo excitante.  Será que o presidente Kennedy e a NASA sabiam exatamente como fazê-lo naquele momento? Provavelmente não. Esta é a parte assustadora do objetivo deles.

O que também aprendemos com o objetivo do presidente Kennedy é que ele criou um tempo limite – colocar o homem na lua até ao final da década. Portanto, devemos também definir uma data para os nossos grandes objetivos, isto criará um sentido de urgência que coloca poder e direção nas nossas ações diárias e semanais.

Por isso, certifique-se que os seus objetivos são emocionantes e assustadores ao mesmo tempo e que têm um limite temporal.

Ainda no nosso exemplo, em resposta ao objetivo do presidente Kennedy, a NASA teve definir alguns objetivos menores, a fim de se garantir o cumprimento do grande objetivo e motivar as pessoas para alcançá-lo. Na nossa vida precisamos de fazer o mesmo: definir objetivos menores que nos ajudarão a alcançar os objetivos maiores.

Finalmente, não devemos olhar para os nosso objetivos e metas como algo estanque. Objetivos não são algo que definimos no início do ano e só olhamos novamente para eles no final do ano. A fim de mantermos o foco na concretização dos mesmos, devemos revistar os nossos objetivos várias vezes. Porque não diariamente?

Outro aspeto importante é escrevê-los. O autor Brian Tracy diz: “O próprio ato de estabelecer metas e anotá-las aumenta sua probabilidade de alcançá-las cerca de 10 vezes”. Metas e planos escritos são muito poderosos, pois eles definem direção e ritmo.

As metas e objetivos são como um roteiro para a nossa vida por isso devemos escrever:

  • Grandes metas e objetivos que tanto nos excitam como assustam.
  • Objetivos intermédios que nos irão ajudar a progredir e motivar para alcançá-los.
  • Como e quando vamos revê-los.

 

Para ler este texto em inglês clique aqui.

Click here to read this post in English.